Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de março de 2007

INRI! CRISTO?

INRI! CRISTO?
Alexandre Farias (restauravida@uol.com.br)
JesusSite

Ao ser indagado de como veio a terra, Iuri Thais, mais conhecido como Inri Cristo, relata que reencarnou em uma pequenina aldeia do interior do Estado de Santa Catarina chamada Indaial em 22/03/1948, e que uma parteira chamada Bema o entregou a um casal de alemães Magdalena e Wilhen Thais, ambos ignorando a sua origem, criaram o pequeno como se fosse filho.

Ainda acrescenta que a terra em que ele nasceu era somente Catarina e a palavra Santa veio à frente, porque era a terra em que ele nasceria.

Inri, quando questionado sobre o seu nascimento, omiti os detalhes reais de quem são os seus pais.

Quando fala de sua infância, afirma que desde menino a sua vida foi diferente das demais crianças, tinha visões terríveis e não tinha discernimento o porque aquilo acontecia, diz que o seu "Pai"(Deus), não autorizava que as premonições fossem contadas para ninguém, nem mesmo aos seus pais terrenos que o adotou.

As visões vinham acompanhadas com febres e elas por várias vezes eram de pessoas sofrendo, gemendo e arrastando as suas pernas.

Aos treze anos, Inri diz ter escutado uma voz que pediu a ele que saísse de casa, e esta voz imperativa é a que sempre obedeceu desde criança e não foi diferente, fugiu de casa.

Talvez na mente deste homem a mistura de histórias como a de Abraão que saiu de sua parentela depois de ouvir a voz do Senhor fosse um escape para aprimorar a sua história "divina" para que muitos cressem em suas palavras.

Mas estes relatos nos deixa mais convicto que ele nunca foi ou é o verdadeiro Cristo!

Para que o verdadeiro Jesus omitiria as informações de seu nascimento? Será que Deus fez isto? A omissão das profecias do nascimento de Cristo nos deixa uma grande prova da sua identidade divina?

Em muitas partes das Escrituras Sagradas deixa claro como seria a sua existência, da mesma forma que o mundo divino possui uma porta de entrada que é o próprio Jesus (Jô 14v. 6), o mundo natural humano também tem a sua porta de entrada, a mulher, pois foi assim desde a Gênesis.

Deus, conhecedor de que um nascimento duvidoso de seu Filho poderia trazer o ceticismo a várias pessoas, tomou as devidas precauções. Após prometer o resgate para a humanidade, declara como Jesus nasceria, de uma mulher (Gen.3v. 15). Jesus nasceu como qualquer bebe, de uma mulher, o que de fato realça a o seu nascimento é que não houve a relação sexual de um homem com uma mulher, mas o Espírito Santo a envolveu gerando Jesus em seu ventre. Jesus passou a sua infância, adolescência e crescia até chegar a sua maturidade como qualquer homem.

Inri só fala de seus pais adotivos, mas não fala de sua mãe legitima. Quem sabe ele não gostaria de que o seu nascimento tivesse acontecido pelo Espírito Santo, como o de Jesus verdadeiro, por isso que ele nega como aconteceu a fecundação divina.

A sua explicação é que José manteve relação sexual com Maria em estado de sonolência. Mateus, escreveu da seguinte forma em seu evangelho no Capitulo 1v. 25 "Mas não a conheceu até que ela deu a luz um Filho. E ele lhes pôs o nome de Jesus."

Jesus dependia do Espírito Santo. Lc 2v. 40 " Crescia o menino e se fortalecia enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele."

Lucas 2v. 52 "E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens".

Se anteriormente não houve a omissão do nascimento de Cristo, o porque existiria nos dias de hoje? Qual seria a intenção de Deus esconder o nascimento, sendo que examinando as Escrituras podemos ver as promessas sendo cumpridas e dando veracidade a sua existência como Filho de Deus!


UM CRISTO REENCARNADO E QUE APOIA A DOUTRINA ESPIRITA

INRI: "Reencarnação é o renascimento físico, retornar à carne; faz parte da lei perfeita e eterna de DEUS "".

Um Cristo que diz ter reencarnado já merece a duvida de qualquer pessoa, pois a doutrina da Reencarnação nunca foi ensinada por Jesus. Quando se trata de reencarnação, a sua história já possui muitos e muitos séculos.

Muitos acreditam que ela veio com os Vedas, Hindus, pois ela está contida na filosofia budista, jainistas e sique, por outro lado, outros já dizem que algumas formas ocidentais podem ter surgido da filosofia grega sem influencia diretamente do hindu, iniciando com pitagoristas.

Alguns Filósofos antigos acreditavam que a alma vive de formas diferentes e que o espírito, ou alma, era eterno e não podia ser destruído. O espiritismo também acredita na reencarnação, o próprio Kardec admite que ela chega a ser um dogma do Espiritismo. O sentido etimológico da palavra é tornar a tomar corpo.

A Bíblia nos garante que depois da morte segue-se o juízo.

Hebreus 9 v.27 "E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo".

Umas das situações que é impossível para Jesus é voltar atrás ou contrariar a palavra do próprio Pai, sendo ela divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, redargüir, corrigir e para instruir em justiça para que o homem seja perfeito e perfeitamente instruído para toda a boa obra. (II Tm 3 v. 14-17).

Porque Cristo haveria de reencarnar?

No livro dos Espíritos Allan Kardec faz uma pergunta sobre a reencarnação para os espíritos, capitulo IV, PLURALIDADE DAS EXISTÊCIAS, Pág. 114:

"167- Qual é a finalidade da reencarnação?".

Resposta do Espírito: Expiação, melhoramento progressivo da humanidade. Sem isto, onde estaria a justiça?

168-O numero das existências corpóreas é limitado, ou o Espírito se reencarna perpetuamente?

Resposta dos espíritos: A cada nova existência, o Espírito dá um passo na senda do progresso; quando se despoja de todas as suas impurezas, não precisa mais das provas vidas corpórea."".

Evidente que Inri Cristo não conhece nem o que acredita, dentro desta concepção, o espírito que já progrediu se despojando de suas impurezas não precisa mais de provas corpóreas!

Os espíritos consultados por Kardec, ainda dizem mais : "Todo os Espíritos tendem á perfeição , e Deus proporciona os meios de consegui-las com as provas de vida corpórea . Mas, na sua justiça , permite-lhes realizar , em novas existências , aquilo que não puderam fazer ou acabar numa primeira prova. (Livro dos Médiuns , Allan Kardec , Cap. Pluralidade das existências , Tópico II-Justiça da reencarnação , pág. 115, Perg. 171).

Inri declara que é a maior prova da reencarnação: "Minha presença é a mais veemente e incontestável prova da existência de DEUS e da reencarnação. Se a reencarnação não existisse seria muito difícil crer na existência de DEUS, porque só ela põe lógica e justiça nas disparidades do mundo. Se a reencarnação não existisse, DEUS seria um tirano cruel que criaria seres imperfeitos e maus para depois condená-los eternamente, sem qualquer chance de regeneração. Mas como DEUS é perfeito, a reencarnação existe em demonstração da bondade e perfeição divinas

Jesus antes de encarnar estava com Deus e era Deus. (João1v.1). Como a Bíblia nos demonstra várias passagens que prove que Jesus era Deus, quero citar uma do Apostolo João no cap. 17 Vers.5 "E agora glorifica-me tu ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse."

Jesus nunca reencarnou, isto já é um fator importante para desmistificar o personagem Inri Cristo, o conceito da reencarnação é a volta da alma à vida corpórea, mas em outro corpo.

A questão da reencarnação está diretamente ligada a purificação do espírito, sendo assim, como Jesus reencarnaria sendo uma pessoa sem pecado algum?

Será que Jesus precisaria reencarnar para se purificar? Qual seria a evolução de Deus?


Jesus nunca cometeu pecados e erros, pois Ele é a luz do mundo. Jo 8v.12 "Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida - ",

Durante a sua vida fez tudo o que o Pai gostaria de que fosse feito. Jo 8v.29 "E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada"

Ainda respondendo as indagações dos Judeus disse "Quem dentre vós convence do pecado?"

João 8v.46-47 "Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes? Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus."

Foi tentado e não se achou um único erro, no final de sua vida encontramos uma frase de Cristo "eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço. ( Jô 15v.10)" .

Nos Evangelhos e nem em toda Escritura Sagrada vemos um indicio de erro por parte de Jesus. Pilatos mesmo escutando as acusações dos judeus, ele pode concluir o seguinte: 'Eu não acho nele crime algum.".( Jô 18v.38).

Nos livros posteriores a sua vida terrena, encontramos os adjetivos "Santo", "Justo", o Apostolo Paulo escreve a II carta aos Coríntios dizendo "Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecador por nós, para que nele, fossemos feito justiça de Deus."

O autor aos Hebreus escreve no cap. 4v. 15 que Jesus foi tentado em todas as coisas, mas não houve o pecado. Pedro quando se refere a Jesus diz que Ele era o cordeiro sem macula.

I Pe 1v.19-20 "Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;"

I Pedro 2v.21 "Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano."

Jesus foi o justo pelos injustos para nos levar a Deus I Pe 3v.18. "Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;"

Já o suposto salvador assume a sua vida pecaminosa e ainda da um depoimento impossível até para o próprio Deus realizar, levar o homem a prática do pecado: "Dos treze aos trinta anos, sem livre-arbítrio, fui levado por meu PAI, SENHOR e DEUS a experimentar os pecados do mundo a fim de vencer o mundo ("Haveis de ter aflições no mundo, mas tende confiança: eu venci o mundo" - João c.16 v.33)".

É impressionante as respostas do "suposto Filho de Deus dos tempos modernos" quando quer justificar a sua vida de pecados, pois a própria Bíblia nos diz que todos se extraviaram e juntamente se fizeram inúteis( Rom 3v.12), até Inri se não aceitar o verdadeiro Jesus Cristo como o seu único e suficiente salvador de sua vida irá perecer no inferno .

Deus nunca retirou o livre arbítrio do homem, Adão e Eva tiveram a sua escolha desde quando foram criados, o livre arbítrio dado por Deus é um respeito com a sua criação, mesmo na salvação temos que ter a livre escolha de querer Jesus como o nosso salvador ou não.


Deus nos daria tentações maiores que possamos suportar? Deus nos levaria a pecar ?

Jesus orou pedindo ao Pai para que nos livre das tentações (Mt 6v.13), um outro pedido é para que possamos vigiar e orar para não entremos em tentação (Mt 26v.41), em sua jornada de jejum e oração no deserto venceu toda sorte de tentações levadas pelo diabo (Mt.4v.13).

Deus não permite que ninguém seja tentado a ponto que não possamos suportar , pois juntamente com a tentação, o Pai nos dá o livramento: I Co 10v.13 "Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar."

Tiago nos traz em sua epistola uma afirmação que desbanca a todo o ensino INRIANO: "Ninguém, ao ser tentado diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e Ele mesmo a ninguém tenta."


UM CRISTO QUE NÃO ACREDITA NA RESSUREIÇÃO

INRI CRISTO: "O mito da minha ressurreição física ao céu é um engodo dogmático, a pedra de tropeço da humanidade."

Inri declara que ele nunca ressuscitou e que a ressurreição é um equivoco teológico e cientifico, a explicação para este fato vem da seguinte forma por Inri: "Meu corpo estaria fadado ao congelamento, pois no espaço sideral não existe ar para respirar e a temperatura confina zero absoluto, ou seja, 273ºC negativos. Além disso, estaria nu, posto que os soldados romanos sortearam minhas vestes entre si (João c.19 v.23 e 24). Na verdade, meu corpo físico foi devolvido à mãe terra, conforme determinou o SENHOR: "Tu és pó, do pó tu foste tomado e ao pó retornarás" (Gênesis c.3 v.19). Durante a tempestade propiciada pelo SENHOR, ocasião em que os soldados romanos foram procurar abrigo, Ele mandou servos fiéis a recolher meu corpo, cobri-lo com novos lençóis e enterrá-lo numa sepultura anônima, dando fim aos escárnios e deboches que perduravam mesmo após a crucificação e conseqüente desencarnação ("...Salva-te a ti mesmo; se és o Filho de DEUS, desce da cruz... Ele salvou os outros, a si mesmo não se pode salvar; se é Rei de Israel, desce agora da cruz e creremos nele... Confiou em DEUS; se DEUS o ama, que o livre agora" - Mateus c.27 v.39 a 44)".

Estas declarações é mais forte que a polemica causada pelo filme "Paixão de Cristo", de Mel Gibson, pois nem com toda a criatividade do diretor ele chegou a tal ponto de imaginação.

Existem outras declarações de Inri: A ressurreição é o reaparecimento espiritual de alguém que desencarnou, provando a imortalidade da alma. Eu ressurgi espiritualmente e assim apareci aos discípulos, por isso entrava nas casas estando as portas fechadas (João c.20 v.19 e 26). Quando a Bíblia relata que ceei com os discípulos, na verdade meu espírito estava usando um corpo alheio (SITE Inri Crsito).


PROVAS SOBRE A RESSUREIÇÃO

A morte de Cristo tem uma grande importância para os cristãos, mas não como a ressurreição, pois se Cristo não ressuscitasse o Evangelho seria um engodo e a nossa salvação uma grande farsa. O Apostolo Paulo escrevendo aos Romanos declara "Se com tua boca confessares a Jesus Cristo como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo".

A posição de Inri que o corpo que usou é um corpo alheio é totalmente errônea, pois as provas consiste em testemunhos neotestamentário de várias pessoas que virão Jesus após a ressurreição, durante quarenta dias, no mesmo corpo físico e com as marcas dos pregos e da lança que o transpassou o lado, a diferença é que este corpo agora se tornou imortal. Quem nos dá este testemunho detalhado é o próprio Jesus quando visita os discípulos. Lucas 24v. 39 "Vedes as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Apalpai-me e vede; um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho."

Tomé também duvidou e Jesus apareceu a ele e disse: "Põe aqui o teu dedo; vê as minhas mãos. Chega a tua mão e põe-na no meu lado. Não sejas incrédulo, mas crente". (Jo20v. 28).

A prova de que Jesus estava com o seu próprio corpo é inegável, pois apresentou as marcas que recebeu antes de morrer. Jesus colocou-se a prova de qualquer toque humano em suas feridas, o seu corpo era de carne e osso, se alimentou, foi reconhecido pelos seus discípulos quando apareceu, isto é, que a sua aparição pode ser vista e ouvida por aqueles que estavam presentes.

A ressurreição é a prova da divindade de Cristo, do triunfo sobre o pecado, a morte e Satanás. Jesus também nos prometeu um corpo glorificado e ressureto, uma das mais convictas provas disto foi o relato de Mateus após a ressurreição de Cristo:

"Abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressurgiram. E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos." (Mt 27v. 52-53)".

Inri declara que seus discípulos roubaram o seu corpo: Durante a tempestade propiciada pelo SENHOR, ocasião em que os soldados romanos foram procurar abrigo, Ele mandou servos fiéis a recolher meu corpo, cobri-lo com novos lençóis e enterrá-lo numa sepultura anônima, dando fim aos escárnios e deboches que perduravam mesmo após a crucificação e conseqüente desencarnação ("... Salva-te a ti mesmo; se és o Filho de DEUS, desce da cruz... Ele salvou os outros, a si mesmo não se pode salvar; se é Rei de Israel, desce agora da cruz e creremos nele... Confiou em DEUS; se DEUS o ama, que o livre agora" - Mateus c.27 v.39 a 44) "".

Mateus escreveu que os soldados Romanos chegando a cidade anunciaram aos principais sacerdotes o que tinha acontecido, os mesmos que fizeram de tudo para crucificar Jesus. Mais uma vez os sacerdotes compraram as suas testemunhas com uma boa quantidade de dinheiro para declarar o que o corpo foi roubado: "Dizei que vieram de noite os seus discípulos e, enquanto domeis, o furtaram. Caso chegue aos ouvidos do governador, nós o persuadiremos, e vos poremos em segurança. Eles receberam o dinheiro, fizeram como estavam instruídos. E espalhou-se esta história entre os judeus, até os dias de hoje".(Mt 28v. 11-15).

Se Jesus vivo já era um problema para os religiosos da época, imagine um Jesus ressureto?

Agora, não teria como matá-lo, o véu do templo já tinha sido rasgado de alto a abaixo, a comunhão entre o homem e Deus não precisava mais dos holocaustos feitos pelos próprios sacerdotes, os judeus precisavam inventar alguma história convincente para que o povo acreditasse, pois estavam prestes a perder as suas posições eclesiásticas. Foram isto que fizeram.

Além disso, os guardas teriam que pagar com as suas próprias vidas se acontecesse alguma coisa, aceitar a segurança dos sacerdotes era viável, pois além de terem recebido propina para acobertar o caso, Pilatos já tinha demonstrado no julgamento de Jesus que ele estava nas mãos dos religiosos.

Pilatos era o governante das Regiões de Samaria e Judéia, ele não era popular entre os judeus, se a história chegasse a César poderia trazer problemas, pois no julgamento os judeus ameaçaram queixar-se a César a respeito de Pilatos (Jo 19v.12-13).

O governo Romano não poderia estar enviando tropas as regiões para controlar qualquer tipo de rebelião ou movimento contrario que ameaçava a paz, se César tivesse que teria que se mobilizar destacamentos para este fim, poderia trazer diversos problemas a Pilatos, ainda mais quando o assunto era a ressurreição de Jesus, acusado pelos próprios judeus de rebelde e uma ameaça a Roma.

Então, Pilatos preferiu mais uma vez estar debaixo de uma história mentirosa do que confirmar a verdade em "favor da paz".

Uma outra questão que deve ser levada em conta, é que Jesus disse sobre a sua ressurreição, podemos chegar à conclusão de que existia a possibilidade dada pelo próprio Cristo de três dias, como um ato de preocupação dos sacerdotes ou de Pilatos, a guarda Romana foi colocada no tumulo para comprovar que nada aconteceria, esta seria a maior prova de que a ressurreição de Cristo fosse uma fraude, o testemunho dos guardas. Imagina se Cristo continuasse da mesma forma que foi colocado dentro da sepultura? Os soldados seriam as maiores testemunhas que o corpo de Cristo estava inerte.

Por muitas vezes, corpos foram roubados de seus túmulos.

Esta posição seria provável se ninguém nunca mais visse o corpo de Cristo, pois os casos de roubos de corpos de seus túmulos não tem registros de que alguém viu alguém que morreu aparecer vivo após tê-lo sepultado !

O caso de Jesus é diferente, esta teoria é totalmente improvável, pois Jesus foi visto morto e depois visto vivo mais de uma vez!

A teoria de Inri de que o corpo foi roubado pelos discípulos já foi questionada no século XVIII, pelos críticos da época, esta foi rechaçada durante todo o tempo de estudos minuciosos desde a responsabilidade dos guardas romanos que se falhassem em sua missão, teriam que pagar com a sua própria vida até o que aconteceu com os discípulos ou de quem abraçou esta causa. Outra posição sobre a ressurreição é a morte dos seguidores de Cristo.

Ninguém daria a sua própria vida por um conto da carochinha!

Se os cristãos não tivessem a certeza da ressurreição de Jesus, ninguém arriscaria a sua vida, prova disto que os mesmos que viram Jesus fazer milagres, curar, libertar e perdoar pecados, não apareceram na crucificação. Pedro negou Jesus quando perguntaram a ele se era um dos que andavam com Cristo. O próprio cético Tomé reconheceu a divindade de Jesus após a sua aparição!

Só uma prova real de que Jesus teria ressurgido dentre os mortos poderia dar a certeza da vitória após a morte aos que antes foram omissos, a veracidade do fato ficou impregnada na alma dos seguidores de Cristo a ponto de dar a suas vidas que antes não tiveram coragem de fazer.

Estevão foi apedrejado, Tiago irmão de João, o primeiro mártir apostólico morreu a fio da espada, Filipe foi crucificado, Mateus foi assassinado com uma alabarda, Tiago o menor foi espancado pelos judeus aos 99 anos, André foi crucificado, Pedro também foi crucificado de cabeça par baixo e até o incrédulo Tomé também morreu pelo nome do Senhor, foi atravessado com uma lança.

Seria um conto de fadas a ressurreição de Jesus?

Agora, dentro destas questões, pergunto : INRI! CRISTO?


REFERENCIAS BIBLIOGRAFIA

- Site Oficial Inri Cristo - http://www.inricristo.org.br/index25.html

- Bíblia Apologética- ICP

- Enciclopédia de Apologética- Norman Gleisler, Editora Vida

- Teologia Sistemática - Wayne Gruden. Editora Vida Nova

- Em defesa de Cristo- Lee Strobel-Editora , Editora Vida

- O livro dos Mártires - Jonh Fox - CPAD

- O novo Testamento interpretado versículo por versículo, R.N.Chaplin, Ph.D , Editora Hagnos

- Bíblia de estudos Aplicação Pessoal, Cpad.

Related Posts with Thumbnails