Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de abril de 2008

RIR É O MELHOR REMÉDIO


Silas Malafaia e o "Apóstolo" Renê Terra Nova eram inimigos declarados. Malafaia gastou programas e mais programas na TV para condenar o G-12 de Terra Nova. Agora fizeram as pazes. Tudo em prol do Reino de Deus, eles dizem. O fato é que há um interesse comum. No meio deste ano (julho) os dois estarão participando de um Congresso que trará Morris Cerullo ao Brasil. Quem é Cerullo? Um dos papas da teologida da prosperidade, enroscado até o pescoço com a justiça americana, e que já foi banido da televisão inglesa por apresentar falsos testemunhos. E também é o autor das notas da "Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira" que o Malafaia vende... Para quem sabe ler, um pingo é letra...


Em tempo, as montagens que ilustram este post foram tiradas do blog do Sérgio Pavarini (http://www.pavablog.blogspot.com/)

Blogado DAQUI

terça-feira, 15 de abril de 2008

Infelizmente é verdade!!!

Pastor oferece poção anti-dengue para fiéis tomarem durante cultos

RIO - "Proteção divina contra a dengue". A promessa, contida num copinho de plástico, era oferecida durante um culto da Igreja Universal do Reino de Deus na Catedral Mundial da Fé, em Del Castilho. Das mãos do pastor Adalberto, os fiéis recebiam uma dose de óleo misturado a azeite. Como noticiou Ancelmo Gois em sua coluna no GLOBO, a instituição neopentecostal vem realizando atos contra a doença nas manhãs dominicais. O panfleto que convida os fiéis para o culto diz que eles receberão "um cálice com óleo santo, para que todos sejam livres desta epidemia". No último domingo, repórteres do GLOBO testemunharam que o pastor recomendou que o azeite fosse tomado.
No fim, o pastor distribuiu ainda uma capa protetora para caixas d'água de 500 litros e disse que haveria outros cultos às 15h e às 18h. Ao ser informado sobre a distribuição do "óleo santo" pela seita, o Ministério da Saúde afirmou em nota que recomenda que as pessoaos não se auto-mediquem e procurem atendimento médico. O órgão alertou ainda que a dengue é uma doença grave e pode matar. Por fim, reiterou que não existe vacina nem qualquer medicamento específico para a doença.
Enquanto isso, pesquisadores indianos comprovaram que o extrato da planta Solanum villosum tem ação repelente e é eficaz no combate às larvas do Aedes aegypti, como também noticiou Ancelmo Gois. Para o entomologista Anthony Érico Guimarães, da Fiocruz, trata-se apenas de mais uma arma de combate à epidemia, que não deve ser vista como "a salvação da pátria".
Cerca de 200 técnicos da Fiocruz e voluntários se uniram nesta segunda-feira a moradores de 15 favelas da região de Manguinhos para combater focos de Aedes e coletaram amostras de larvas em 121 focos. Várias estavam em caixas d'água destampadas ou mal vedadas. As larvas serão examinadas pelo Laboratório de Controle de Pragas e Vetores da Diretoria de Administração do Campus, em conjunto com pesquisadores. O mutirão foi uma iniciativa de líderes comunitários, que procuraram o instituto para obter apoio técnico.

Fonte: O Globo online

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Será que isto é verdade? (Recebi por e-mail)

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Sorria: Você está sendo enganado pelas ´certezas das datações fósseis´

UM PANORAMA SOBRE O EVOLUCIONISMO E OS ´MEIOS DE DATAÇÃO´


Por Robson T. Fernandes

Adaptado por Artur Eduardo


Composição artística de um ´ancestral´ humano, o ´australopitecus´.

Diversos métodos de datação são empregados na pesquisa científica. Tal variedade deve-se ao fato de que alguns desses testes não podem ser aplicados em determinadas situações, devido ao tipo de material utilizado. Ou seja, testes como o Carbono 14 (14C), por exemplo, não pode ser executado em seres inanimados. Os principais métodos de datação utilizados são:
O Relógio de Urânio-Chumbo; O Relógio de Potássio-Argônio; O Relógio de Rubídio-Estrôncio; O Relógio Radiocarbônico; Carbono 14 (14C); Dendrocronologia (datação pelos anéis de crescimento das árvores); Racemização dos Aminoácidos.

A datação por Carbono 14 (14C), a mais conhecida, foi inventada pelo Dr. Willard Frank Libby (1908 - 1980), químico americano nascido em Grand Valley. A razão de existirem tantos métodos é devido ao fato de, por muitos anos, tentarem desenvolver um método que finalmente estivesse de acordo com o pensamento de tais pesquisadores.

Na época em que surgiu A Origem das Espécies (de Darwin), a idade da terra estava ‘cientificamente’ determinada em 100 milhões de anos. Em 1932, ‘descobriram’ que a terra tinha 1.6 bilhões de anos. Em 1947, geólogos ‘firmemente’ estabeleceram a idade da terra em 3.4 bilhões de anos. E finalmente, em 1976, eles descobriram que a terra tinha ‘realmente’ 4.6 bilhões de anos, períodos em que essas datas foram estipuladas, você seria chamado de louco ou fanático ou até ignorante se discordasse tanto das idades como dos métodos de datação utilizados. Entretanto, essas idades não pararam de crescer até que se alcançasse o que era desejado.

Essas datas indicam que, por cerca de 100 anos, a idade da terra dobrou a cada 20 anos. Se esse ritmo continuasse, a terra teria 700 mil trilhões-trilhões-trilhões de anos pelo ano 4000 d.C. Devemos saber, contudo, que essa data é alicerçada em algumas suposições. Existem dezenas de testes de datação que atribuem uma idade jovem para a Terra. Porém, a minoria, talvez 6 ou 7, atribuem uma idade avançada para o planeta e são esses que são aprovados e adotados pelos evolucionistas. Isso não é honesto.

J.E. O'Rourke, afirmou:O leigo inteligente já há muito suspeitou do raciocínio em círculos no uso de rochas para datar fósseis e de fósseis para datar rochas. O geólogo nunca se importou em pensar em uma boa resposta, considerando que as explicações não compensam o esforço uma vez que o trabalho traga resultados”. American Journal of Science, 1976, 276:51.

Ao datarem-se alguns fósseis, procede-se da seguinte forma:
A idade da rocha é baseada na idade, que se supõe, que o animal fossilizado nela possui;

- A idade do animal fossilizado na rocha é baseado na idade, que se supõe, que a rocha possui. Isso chega a ser cômico, para não dizer ridículo. Um raciocínio em círculos. Os métodos de datação quando são comparados revelam uma absurda discrepância. Podemos observar isso através de alguns exemplos:

1. Amostras da Lua, do Projeto Apollo, foram datadas tanto com o método do Urânio-Tório-Chumbo como Potássio-Argônio. Os resultados apresentaram resultados que variaram de 2 milhões a 28 bilhões de anos de um método para outro. Isso é bastante tempo e não há como saber qual o método merecedor de crédito!

2. Algumas amostras de lava provenientes de vulcões da margem norte do Grand Canyon (EUA), foram datadas pelo método do Potássio-Argônio e mostram idades UM BILHÃO de anos ‘mais velhas’ do que as rochas mais antigas da base do Grand Canyon. Isso é ridículo. Nunca, jamais, em tempo algum, uma rocha que está na superfície será mais antiga do que a que está na base!

3. Lava proveniente de vulcões subaquáticos perto da Havaí, que entraram em erupção no ano de 1801 dC, foram ‘datadas’ pelo método do Potássio-Argônio, sendo que os resultados variaram de 160 milhões, a aproximadamente 3 bilhões de anos. Nesses casos, os laboratórios afirmam que já conhecem a idade certa e, portanto, descartam a outra ou as outras que não estão de acordo com o que querem. Isso nunca foi ciência, o vulcão entrou em erupção em 1801!

4. O Vulcão Kilauea – Havaí – que a cerca de 200 anos atrás entrou em erupção, teve o seu fluxo de lava submetido a datação através do método, também, potássio-argônio, sendo que o mesmo fluxo de lava, só por causa da variação de profundidade, teve uma enorme divergência no resultado da datação.

• A uma profundidade de 4600 m, a idade estipulada foi de ~21 milhões de anos;
• A uma profundidade de 3420 m, a idade estipulada foi de ~12 milhões de anos;• A uma profundidade de 1400 m, a idade estipulada foi de 0 (zero) anos, ou seja, algo que aconteceu a 200 anos atrás estava sendo datado como se não possuísse nem um ano sequer de idade. A mesma “peça”, mesma rocha. só por aumentar a profundidade possuiria 21 milhões de anos.

Foto de um ´bebê australopitecus´. E, como se sabe? Pela ´idade´, baseada nos meios que você está lendo! (Bem, parece-me o de um macaco...).

Os testes radiativos, inclusive o mais conhecido – 14C – possuem em comum o mesmo problema, a tabela usada na datação. Os métodos de coleta de material são corretos, os testes laboratoriais, em alguns casos, são corretos e os cálculos para obtenção da quantidade de isótopos são corretos.

O problema encontra-se na tabela usada na datação. Todos os testes laboratoriais são feitos de forma correta, contudo ao se descobrir – mediante testes – a quantidade de isótopos existentes em determinado elemento, recorre-se a uma tabela que não segue nenhum critério metodológico ou científico, antes, essa tabela foi elaborada com base em suposições. O autor de tal tabela, usada em testes de datação radioativos, a elaborou da seguinte forma:

- Se a amostra tiver 10% de isótopo, então acho que deve ter, por exemplo, 3 bilhões de anos;
- Se a amostra tiver 15% de isótopo, então imagino que deve ter, por exemplo, 2,5 bilhões de anos;
- Se a amostra tiver 20% de isótopo, então deduzo que deve ter, por exemplo, 2 bilhões de anos;
- Se a amostra tiver 80% de isótopo, então suponho que deve ter, por exemplo, 3 milhões de anos ...
E assim sucessivamente.

Agora perguntamos:
- Em qual planeta isso pode ser chamado de ciência?
- Quem faz isso pode ser considerado como um cientista sério?

Veja bem, não estamos reprovando a ciência, de forma alguma. Estamos reprovando, sim, cientistas mal intencionados. Aqueles que usam a ciência de forma inconseqüente, má intencionada e a manipulam em favor de interesses próprios e pessoais.
A teoria da evolução transgride duas leis fundamentais da natureza: a primeira e a segunda Lei da Termodinâmica. A Primeira Lei declara que não importa que mudanças se efetuem, nucleares, químicas ou físicas, a soma total da energia e da matéria (realmente equivalentes) permanece constante. Nada atualmente está sendo criado ou destruído, embora transformações de qualquer espécie possam acontecer. A Segunda Lei declara que cada alteração que acontece tende natural e espontaneamente a sair de um estado ordenado para um estado desordenado, do complexo para o simples, de um estado de energia alto para um estado de energia baixo." - Duane T Gish, Ph. D.

Fonte:
Vinacc

Estátua de Cristo que ‘chora’ atrai fiéis no interior de SP

Imagem que derrama líquido vermelho dos olhos levou centenas de fiéis a Macatuba.
Material foi coletado para análise, mas resultados ainda não são conclusivos.
Centenas de fiéis estiveram nos últimos dias em Macatuba, a 315 km de são Paulo, para ver de perto uma imagem de Cristo que tem um líquido vermelho escorrendo dos olhos. O movimento não pára desde a semana passada, quando a figura sagrada teria derramado sangue.
Uma multidão já passou pelo lugar. As lágrimas que caíram do rosto de cristo e escorreram sobre o manto foram coletadas e analisadas em um laboratório da cidade. Os resultados, entretanto, ainda não são conclusivos.
Mesmo sem a comprovação do tipo de líquido que escorre da imagem, fiéis continuam procurando a Igreja Matriz de Macatuba atrás de respostas. “De repente é um modo de trazer o povo de volta para a igreja”, diz uma das fiéis.
Uma outra fiel diz que prefere esperar o resultado dos exames. “Prefiro esperar, para depois a gente ter a certeza”.

Fonte: G1

Lali é vista como deusa e pais recusam operação

Menina indiana nasceu há um mês e tem uma duplicação craneofacial


Lali tem apenas um mês de vida e já é notícia em todo o mundo. Nasceu com uma deformação chamada duplicação craneofacial e os médicos receiam pelo seu futuro. Mas os pais, um casal de agricultores indianos, não aceitam que seja operada, pois consideram-na um presente divino. Tudo porque na mitologia hindu, alguns deuses, como Brahma, são representados com várias cabeças.
"Quando nasceu assustei-me, mas logo vi que era uma dádiva", disse Vinod Kumar Singh, o pai, que ontem foi citado pelo El Mundo. Os vizinhos da pequena aldeia próxima de Nova Deli, onde vive Lali, estão orgulhosos pela fama que o caso da menina com duas faces ganhou, adorando-a como se fosse uma deusa.
A menina tem quatro olhos, duas bocas e dois narizes e os médicos já alertaram os pais para as complicações que Lali pode enfrentar. Ashmosd, o médico que a viu nascer, explicou que os pais, muito jovens, não têm noção da necessidade de um tratamento para a menina. "Ofereci--me para levá-la a Nova Deli para fazer os testes necessários, gratuitos, mas eles não quiseram aceitar."
Os médicos acreditam que Lali possa sofrer de algum tipo de má formação cardíaca e neurológica. Mas a recusa dos pais em permitir que a filha seja submetida a qualquer tipo de exames torna completamente impossível avaliar o nível de gravidade que o seu caso apresenta. E até mesmo ponderar a hipótese de uma intervenção cirúrgica.
"É uma menina como qualquer outra, não vejo porquê operá-la", disse o pai, de 24 anos, ao mesmo jornal, acrescentando que se Lali morrer "é porque Deus assim o quis". Assim, os médicos apenas podem aconselhar, aconselhar que a mãe não lhe dê de mamar pelas duas bocas ao mesmo tempo, por exemplo, pois isso poderia matá-la por asfixia. E desejar sorte, muita sorte, para que Lali sobreviva e seja baptizada, dentro de anos, com o seu nome definitivo.
A intervenção cirúrgica estaria cheia de riscos porque a estrutura craniana da criança é constituída por dois crânios que estão unidos lateralmente e as cavidades oral e nasal partilham as mesmas vias. Alguns médicos pensam que, apesar de tudo, seria possível operar Lali, para que ela não sofra, no futuro, de problemas respiratórios ou se asfixie. O tempo não joga a favor da menina-deusa a quem os camponeses indianos oferecem prendas e dinheiro.

Fonte: DN Online

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Os 144.000 do Apocalipse

Pr Airton Evangelista da Costa

Somente 144.000 crentes irão morar no céu? Para onde irão os demais salvos? Vejamos algumas passagens bíblicas sobre o assunto:

“Não danifiqueis a terra, nem o mar, nem as árvores, até que hajamos assinalado na testa os servos do nosso Deus. E ouvi o número dos assinalados, e eram cento e quarenta e quatro mil assinalados, de todas as tribos dos filhos de Israel” (Ap 7.3-4).

“Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas em suas mãos; estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu templo” (vv.9, 14,15).

“E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em sua testa tinham escrito o nome dele e o de seu Pai. Estes são os que não estão contaminados com mulheres, porque são virgens. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro” (Ap 14.1,4).

Vamos conhecer o que dizem alguns intérpretes:

Apocalipse 7.4 = Os 144.000 são descritos como servos de Deus (v.3), provenientes das tribos dos filhos de Israel (vv.4-8). Deus assinalará ou marcará as suas testas para indicar a sua consagração a Deus e que pertencem a Ele (cf.9.4; Ez 9.1-6; 2 Tm 2.19). Talvez sejam os primeiros convertidos de uma grande colheita de almas ganhas para Deus, dentre todas as nações e tribos e povos e línguas, durante a tribulação (v.9). Alguns intérpretes da Bíblia entendem que esses novos crentes dentre os filhos de Israel serão comissionados e capacitados pelo Espírito Santo para pregar o evangelho durante os negros dias da tribulação” (Bíblia de Estudo Pentecostal) .

Apocalipse 7.9 = João descreve uma cena no céu: uma grande multidão de pessoas, provenientes de todas as nações, que foram salvas mediante a fé em Cristo. Estarão com Deus (v.15), livres de dor e tristeza (vv.16,17). Essa multidão, salva pelo `sangue do Cordeiro´, devem ser os santos da tribulação, pois João declara que `vieram de grande tribulação´ (v.14)” (Ibidem).

Apocalipse 14.1 – O capítulo 14 começa descrevendo uma cena de 144.000 crentes proeminentes que aparecem no céu perto do Cordeiro. Certamente representam os mais consagrados e fiéis do povo de Deus de todos os tempos que desfrutam de graça e posição especiais no céu. A cifra 144.000 não significa que o número deles é restrito a esse total. Qualquer crente pode passar a pertencer a esse grupo mediante a fé, o mor e o serviço devotado a Deus” (Ibidem).

“Os cento e quarenta e quatro mil de cada tribo dos filhos de Israel (7.4) simbolizam a Igreja toda no fim dos tempos; isto é deduzido de 7.3, pois os servos do nosso Deus na dispensação cristã só podem ser a Igreja. Outrossim, desde que as tribulações dos últimos dias são universais, toda a companhia do povo de Deus carece de sua proteção, não simplesmente uma seção dele (os judeus). Uma multidão – Ap 7.9 – A Igreja é vista triunfante no céu” (O Novo Comentário da Bíblia, Edições Vida Nova, 1990).

Apocalipse 7.4 = Como este é o número total dos servos de Deus (7.3), os justos (1.1; 2.,20; 22.6), o número e a designação étnica podem estar aqui em sentido figurado, referindo-se aos verdadeiros seguidores do Deus de Israel (seguidores de Jesus; cf. 2.9; 3.9; 21.1,14). Quer seja esse número empregado figuradamente ou literalmente, é bastante clara, entretanto, a alusão ao Antigo Testamento e à concepção judaica universal da restauração de Israel, retratada, como em geral ocorre, em termos da restauração do remanescente (sobreviventes) das doze tribos” (Comentários Bíblicos Atos – Novo Testamento, Craig S. Keener).

“Se o número – 144.000 – for levado a sério, certamente ele está muito, mas muito mesmo, abaixo do número de crentes que estarão no céu. Até mesmo as dimensões físicas da Nova Jerusalém (Ap 21.16-17), para não dizer nada quanto ao restante do vasto universo criado por Deus, poderiam conter um número muito maior de pessoas do que 144.000. Apocalipse 7.9 declara que havia, além dos 144.000, `uma grande multidão... de todas as nações´ que eram também redimidos, o que indica não somente que os salvos não se limitam a esse número, mas que a passagem tem mais sentido se tomada de forma literal” (Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia – Norma Geisler e Thomas Howe).

“Pensemos agora no número 144.000. Doze é usado para representar o povo de Deus (12 tribos no Velho Testamento e 12 apóstolos no Novo). Dez é um número completo. Quando Deus quer descrever simbolicamente a totalidade de seu povo, ele usa 12 x 12 x 10 x 10 x 10. Outros termos simbólicos dão significado extra a este número. Eles são israelitas, 12.000 de cada tribo, homens virgens puros. Estes textos não devem ser interpretados como uma designação literal daqueles que irão para o céu. Mulheres, não só homens, estarão no céu. Pessoas que são casadas na terra, não exatamente virgens, estarão lá. Gentios, junto com judeus, estarão no céu. As descrições são simbólicas, tal como é o número. Podemos com certeza esperar ver muito mais do que 144.000 pessoas redimidas no céu” (www.estudosdabiblia .net/bd58. htm).

“Seria impossível para algum povo viver para sempre na terra, uma vez que ela será destruída quando Cristo retornar. "Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. . . ." (2 Pedro 3:10-12). O próprio Jesus disse que a terra passaria (Mateus 24:35)”.

“Alguns grupos religiosos insistem em que haverá servos de Deus que viverão para sempre num paraíso na terra. Este ensinamento apela para muitos porque eles estão muito ligados a esta vida e gostam da idéia de serem capazes de permanecer para sempre numa terra purificada. Para o verdadeiro cristão, estes ensinamentos não têm atração. Sua cidadania é no céu (Filipenses 3:20), e ele anseia por partir e estar com Cristo ali (Filipenses 1:21-24). Sua esperança é preservada no céu (Colossenses 1:5; 1 Pedro 1:3-5), e seus pensamentos estão totalmente centralizados na oportunidade de estar com o Senhor um dia (1 Pedro 1:13; Hebreus 11:13-16)”.

“Apocalipse 7, um texto que usa o número 144.000, é algumas vezes usado para ensinar que somente 144.000 estarão no céu e que o resto dos cristãos (uma grande multidão) permanecerá na terra. Apocalipse 7 é uma mensagem um tanto difícil, mas um mero olhar para ela mostrará que os 144.000 eram os irmãos fiéis na terra (Apocalipse 7:1-3), enquanto a grande multidão (servos de Deus que tinham morrido) estava no céu (Apocalipse 7:9). Isto é o exato oposto do que aqueles ensinam, que 144.000 serão os únicos no céu. Quando morrerem, naturalmente, os 144.000 também deixarão a grande tribulação e se juntarão na celebração no céu, em torno do trono de Deus. Apocalipse 7 não dá apoio à doutrina de um paraíso eterno na terra. As Escrituras afirmam claramente que só há uma esperança (Efésios 4:4), que é a esperança no céu (Mateus 6:19-21)” (Gary Fisher-www.estudosd abiblia.net/ bd36.htm) .

“Não esqueçamos algo básico que é o valor conceitual, moral e espiritual dos números para a interpretação bíblica. Portanto, é necessário dissecar este número. 144.000 é o resultado da operação 12 X 12 X 1000. Nesse pequeno e sugestivo cálculo matemático, temos uma preciosa lição. Estes números são a chave para abrir a porta para um belíssimo conceito, o do precioso ideal da gloriosa esperança, da habitação eterna e perene com Deus”.

12 são as tribos de Israel; 12 é o número dos apóstolos. Significa que as tribos de Israel representam aqui todos os salvos e fiéis do Antigo Testamento; os apóstolos simbolizam todos os fiéis e salvos do Novo Testamento. 12 X 12 (144) são todos os fiéis da Antiga Aliança e todos os remidos da Nova Aliança, TODOS OS SALVOS, portanto! Todos os que foram comprados pelo sacrifício de Jesus Cristo, resgatados do poder do mal, e que formam a Igreja Vitoriosa e Militante! E os 1000? É 103 (dez elevado ao cubo), o resultado da operação 10 X 10 X 10. Na linguagem bíblica, 10 é número de altíssimo valor e significado porque reúne nele o 3 (número de Deus) e o 7 (número da obra completa, da plenitude)”.

“Esse ilustre número (o 10) está multiplicado por ele mesmo duas vezes, quer dizer, 10 X 10 X 10, como já foi mencionado. É o número de altíssima perfeição (10) multiplicado pelo número de Deus (3). O resultado só pode ser o máximo de bem-aventuranç a: ter a fronte selada (símbolo de propriedade) por ordem do próprio Deus! (cf. v.3)”.

“Multiplicando o resultado de 12 X 12 (144) pelos 1000 do parágrafo acima temos como resultado 144.000, número ideal, representando o conceito de todos os salvos, em todos os tempos, de todos os lugares, de todos os quadrantes, de todas as raças, de todas as condições sociais” (Walter Santos Baptista – www2.uol.com. br/bibliaworld/ igreja/estudos/ escat013. htm).

Fonte: www.palavavradaverdade.org

Related Posts with Thumbnails