Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

“Crescendo em Graça” continua ilegal em Honduras

Há 14 anos na ilegalidade, representantes do Ministério Crescendo em Graça, acompanhados de advogados, tiveram que explicar ao ministério da Justiça, do Interior e à polícia, esta semana, como continuam atuando no país e os motivos pelos quais tatuam crianças e adolescentes com a sigla SSS – salvo sempre salvo – e o número da besta, 666.
Os seguidores do portorricense José Luis de Jesús Miranda tiveram que explicar em cada uma das audiências como procedem. Em 2008, foi negada personalidade jurídica a esse ministério eclesial, que atua sob a fachada de instituição educacional.
O juiz Fabricio Guillén adiantou que depois de escutarem os religiosos decidiram ordenar o fechamento definitivo das instalações do Crescendo em Graça em Tegucigalpa, porque essa igreja não tem permissão oficial para atuar no país.
Guillén explicou à imprensa a documentação apresentada pelos religiosos existem irregularidades e incongruências.
O advogado da igreja, Abraham Maldonado Orellana, informou, na saída de uma das audiências que em 2009 foi concedido ao Crescendo em Graça o reconhecimento jurídico.
Os religiosos argumentaram que “os meninos que se tatuaram sabiam o que estão fazendo”, e que o 666 significa “prosperidade, amor e riqueza”.
O Ministério Crescendo em Graça foi fundado e governado pelo ex-pastor pentecostal José Luis de Jesús Miranda, no início dos anos 80 do século passado em Miami, Florida, onde tem seu centro principal de operações.
A igreja recusa todos os escritos que não sejam os de Paulo, porque são os únicos que contêm a verdadeira mensagem do Evangelho. Também proclamam que a existência de Satanás é um mito e não aceitam o sacramento do batismo e da Ceia.

ALC via Notícias Cristãs

Related Posts with Thumbnails